Quarta-feira, 15 de Novembro de 2006
Crise na Câmara
Crise na Câmara
FIM DA COLIGAÇÃO
O presidente da Câmara de Lisboa retirou todos os pelouros à vereadora Maria José Nogueira Pinto, que acusa de «falta de lealdade política», pondo em causa a coligação PSD/CDS, que governa a capital. O sucedido vem na sequência de um voto negativo de Nogueira Pinta a um nome proposto por Carmona.
 
Ver artigoVer relacionados

 

NUM comunicado enviado às redacções, o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carmona Rodrigues, anunciou esta noite que vai retirar todos os pelouros à vereadora Maria José Nogueira Pinto. Carmona afirma na nota à imprensa que a vereadora do CDS-PP «violou um dever de lealdade e confiança».

 

Carmona Rodrigues garante, no entanto, que irá «continuar a assegurar a governação da Câmara com a maioria e a equipa que o povo escolheu nas eleições». Isto apesar de, sem o acordo político que existe entre sociais-democratas e centristas se tornar difícil a gestão política da autarquia.

 

A decisão do presidente da Câmara surge na sequência de um incidente político que teve lugar esta tarde durante a votação dos nomes para o Conselho de Administração da Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU) da Baixa Pombalina. Barata Nunes, um dos propostos pelo presidente Carmona Rodrigues para a administração daquela empresa municipal, foi chumbado para o cargo, com nove votos contra e oito a favor.

 

Apesar de a votação ser secreta, ficou claro que um dos votos contra veio de Maria José Nogueira Pinto, gerando mal-estar entre a maioria PSD/CDS que governa a Câmara da capital. No fim da reunião, Nogueira Pinto abandonou os Paços do Concelho, escusando-se a comentar o incidente e comentando apenas que «o voto é secreto».

 

margarida.davim@sol.pt

publicado por ciloca às 21:42
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Zalinha a 16 de Novembro de 2006 às 20:23
Aiaiaiai,quando eles não se entendem como se entenderá o comum dos cidadãos;) mas enfim o pais é dirigido desta forma e nós só nos resta mesmo a esperança de que o amanhã seja diferente(para melhor claro,para mal já basta assim) Bjs e bom resto de semana:)
De padeiradealjubarrota a 17 de Novembro de 2006 às 18:39
Não estou por dentro do assunto para comentar, mas que é estranho é. E triste também.
De Jofre Alves a 17 de Novembro de 2006 às 19:43
O assunto é sério: por causa da violação do dever de lealdade foi rompida a coligação. Por sua vez o desgoverno todos os dias viola os portugueses com mais qualquer coisita, e ainda não rompemos nada, Haja paciência, mas faço um apelo: por mim, não quero ser mais violado, chega.

Comentar post

.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.posts recentes

. ...

. Dos Deolinda "Que parva q...

. Regressei um ano depois

. contra a execução de Saki...

. ...

. ...

. A Cidade vai sentir estas...

. Finalmente,

. ...

. ...

.arquivos

. Maio 2012

. Fevereiro 2011

. Agosto 2010

. Fevereiro 2010

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.favoritos

. ????????...

.links
blogs SAPO
.subscrever feeds