Terça-feira, 31 de Outubro de 2006
Autopsicografia



O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

De Fernando Pessoa

publicado por ciloca às 21:31
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
|
Quarta-feira, 25 de Outubro de 2006
robin dos bosques? Eu? Não

 

Há dias houve notícias importantes, uma delas , o Governo, através do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, resolveu perdoar aos bancos o esquecimento da obrigação do pagar impostos, decorrente de algumas operações bancárias em paraísos fiscais.
Considerou o secretário de Estado, Amaral Tomás, que o esquecimento dos bancos foi de "boa fé".
Eles agradecem!
 Ficámos ainda a saber que quando emprestam dinheiro os bancos calculam os juros por 360 dias, mas quando recebem o nosso dinheiro (nos depósitos) a divisão já é feita por 365 dias.
Sim senhor!!!!
Claro que assim se percebe que alguns dos nossos governantes, como o reconheceu o ministro das Finanças, não se sintam um Robin dos Bosques. É que isto de tirar aos ricos, para dar aos pobres só mesmo na ficção...

 

publicado por ciloca às 21:05
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Domingo, 22 de Outubro de 2006
Sentido de humor

 

Andei por aí a navegar e trouxe comigo para partilhar convosco um texto publicado pelo LUAR


Há um conflito quase tão grave como o que opõe os ricos aos pobres, que é o que se sabe latente entre os bem-humorados - pessoas com o riso na alma, que nada poupam à sua ironia, feita de expressões reticentes, de brejeirices, de subtilezas de palavras ou de argúcias de raciocínio - e os sisudos - que «secam» as piadas alheias com o seu sorriso morno, que encaram com severidade quem galhofa com o caricato das situações, que têm raros assomos de um sarcasmo duro e formal, e que todos se melindram com insignificâncias. Apesar de se cruzarem em cada esquina, vivem, uns e outros, nos antípodas do género humano e até na linguagem se estranham: nem os que têm graça conseguem ser engraçados, nem os que são importantes conseguem ser levados a sério. Ora esta pequena, mas insuperável, diferença de caracteres está na génese de milhentos dos impasses e rupturas que envenenam a vida da gente; e que desembocam, quantas vezes, nas temíveis soluções musculadas que pontuam a História do planeta. Assim se pudesse inocular sentido de humor em quem o não tem e quantos dramalhões, públicos e privados, se não esfumariam em gargalhadas? E depois, se é verdade que uma «tacha arreganhada» nem sempre é imagem de fecunda oxigenação cerebral, é-o, pelo menos, de muita saúde!
Luar

publicado por ciloca às 20:45
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
|
Sábado, 21 de Outubro de 2006
VONTADE DE UM ABRAÇO
De repente deu vontade de um abraço...
Uma vontade de entrelaço, de proximidade...
de amizade... sei lá...
Talvez um aconchego que enfatize a vida e
amenize as dores...
Que fale sobre os amores,
que seja teimoso e ao mesmo tempo forte.
Deu vontade de poder rever saudade
de um abraço.
Um abraço que eternize o tempo
e preencha todo espaço
mas que faça lembrar do carinho,
que surge devagarinho
da magia da união dos corpos, das auras... sei lá.
Lembrar do calor das mãos
acariciando as costas
a dizer...
"estou aqui."

Lembrar do trançar dos braços,
envolventes e seguros afirmando
"estou com você"...
Lembrar da transfusão de forças
com a suavidade do momento... sei lá...
abraço... abraço... abraço...
O que importa é a magia deste abraço!
A fusão de energia que harmoniza,
integra tudo, e que se traduz
no cosmo, no tempo e no espaço.
Só sei que agora deu vontade desse abraço!!
Que afaste toda e qualquer angústia.
Que desperte a lágrima da alegria,
e acalme o coração...
Que traduza a amizade, o amor e a emoção.
E para um abraço assim só posso pensar em você...
nessa sua energia,
nessa sua sensibilidade
que sabe entender o por quê...
dessa vontade desse abraço.

publicado por ciloca às 22:55
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Terça-feira, 17 de Outubro de 2006
Pronto já falei!!

Não me apetece! Mas não te apetece o quê? Falar ou escrever sobre o que me incomoda. Pois fazes mal devias desabafar.Não sou muito de me abrir , mesmo junto dos que estão perto de mim, muito menos para estranhos ou simplesmente blogo-conhecidos. Pois, tu é que sabes.

Mas por outro lado, apetece-me gritar. Gritar sem dizer porquê. Só para aliviar a tensão sofrida desde há algum tempo. Tensões no serviço, cujos responsáveis politicos de topo e intermédios, vem desrespeitando sistemáticamente o saber de experiencia de anos, de um grupo de quadros técnico superior cheios de vontade de  dar o seu melhor, com algum brio em mostrar o que sabe, fazendo o seu melhor. Responsaveis politicos esses que Colocam em causa um Departamento inteiro, por terem ideias pré-concebidas, e ideologias politicas avessas à realidade social em causa. A avaliar pela amostra do que aqui se passa, revejo todos os ministérios , quando acabados de chegar põem por terra todos os planos, mesmo os melhores ,do executivo anterior só porque sendo dos outros não presta. E assim se enbanja o nosso herário publico.

 

publicado por ciloca às 21:16
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Segunda-feira, 16 de Outubro de 2006
Continuo sem palavras

   Gerês, que conheço bem;  

  Hawai  onde nunca estive , dois locais mágicos                                                                                                                                                                                                                                                                                   

 

 Para quem como eu gosta de mar, esta deverá ser um dos momentos mais fantasticos.Deslizar sobre a água.

publicado por ciloca às 23:40
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Sexta-feira, 13 de Outubro de 2006
...

Meus amigos , hoje não tenho assunto, Nem politica, nem economia, nem poemas, televisão ou passeio de fim de semana. Falta-me assunto e depois de duas tentativas patra fazer copie de umas coisitas, não consegui por isso despeço-me com amizade, desejo a todos um bom fim de semana. Aproveitem ao máximo os dias esplendorosos de sol com que a meteorologia nos tem brindado.

Talves amanhã aqui venha postar algo que vos provoque.

sinto-me:
publicado por ciloca às 21:51
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Maio 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.posts recentes

. ...

. Dos Deolinda "Que parva q...

. Regressei um ano depois

. contra a execução de Saki...

. ...

. ...

. A Cidade vai sentir estas...

. Finalmente,

. ...

. ...

.arquivos

. Maio 2012

. Fevereiro 2011

. Agosto 2010

. Fevereiro 2010

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.favoritos

. ????????...

.links
blogs SAPO
.subscrever feeds